16 contêineres viram coworking público sustentável em Salvador




Entendendo que a desigualdade social é o maior desafio a ser vencido em diversas cidades brasileiras, a Prefeitura de Salvador, por meio da Secretaria Municipal de Sustentabilidade, Inovação e Resiliência (Secis), projetou, construiu e começou a operar no dia 10 de maio o Centro Municipal de Inovação COLABORE, primeiro coworking público para microempresas, microempreendedores individuais (MEIs), startups ou pessoas que possuam soluções de impacto social para a cidade, mas que também contribuam para atingir os 17 Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU.

Em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – Sebrae, o COLABORE foi criado em meio às árvores de um dos lugares mais frequentados da capital baiana: o Parque da Cidade, um espaço público onde circulam cerca de 100 mil pessoas por mês. Com um investimento de 2 milhões, a prefeitura reaproveitou 16 contêineres marítimos antigos e os distribuiu em uma área de 2.700m². O Colabore faz parte da Estratégia de Resiliência de Salvador e é mais uma entrega do eixo Cidade Sustentável, do programa de aceleração do crescimento econômico social da cidade – Salvador 360.

Sustentável – Além da estrutura construída a partir de contêineres reutilizados, o Colabore conta com diversas outras iniciativas e tecnologias sustentáveis, como cobertura vegetal, aproveitamento da ventilação cruzada, sistema de captação e uso de água das chuvas, painéis solares fotovoltaicos para a geração de energia, tratamento e reutilização de esgoto, pavimento permeável, sistema inteligente de gestão da refrigeração, barreira acústica natural, além de bicicletário, para estimular a mobilidade ativa.

O espaço tem, ao todo, oito módulos, sendo dois reservados para coworkings, com 26 estações de trabalho que permitem a realização de cursos de capacitação na área de inovação e empreendedorismo social de forma periódica, promovendo a aceleração do ecossistema de inovação de Salvador; e mais 20 estações em outros dois módulos, onde funcionará uma incubadora de negócios sociais.

Fonte: https://ciclovivo.com.br/arq-urb/arquitetura/conteineres-coworking-publico-salvador/




Veja também



Garrafa sem plástico se decompõe em três semanas
Paraíso da reciclagem: A Suécia não tem lixo há seis anos
Você sabe porquê comemoramos o Dia Mundial do Meio Ambiente?
Resíduos de peixe podem ser aproveitados