FURG desenvolve pias portáteis e automatizadas para higiene de mãos em hospitais


Para ajudar a combater o avanço da pandemia do coronavírus (Covid-19), a FURG instalará nos próximos dias, no interior do Hospital Universitário (HU-FURG/Ebserh) e também nos postos de triagem do Complexo Hospitalar Santa Casa do Rio Grande, pias portáteis automatizadas para higienização das mãos dos pacientes e visitantes. Trata-se de mais uma ação do iTecCorona, frente tecnológica formada pela FURG na região sul do Estado destinada à prevenção e combate da pandemia.

De acordo com os idealizadores, as pias apresentam um sistema híbrido: ele funciona conectado às redes hidráulicas e também pode ser abastecido manualmente. O equipamento traz dois recipientes de igual volume, um para água limpa e outro para efluentes, e ainda um dispenser para sabão líquido. A capacidade é de 60 litros. O sistema desenvolvido faz o acionamento por proximidade. Primeiramente, ele lança o sabão líquido e, então, a torneira aciona o jato d'água também com a resposta de um sensor. A pessoa que o utiliza não precisa abrir ou fechar a torneira, evitando possibilidade de contaminação.

As novas estações de higienização serão identificadas e instaladas em pontos estratégicos dos hospitais, e estarão em fase de testes na próxima semana. "Queremos ter uma ideia de ciclos de manutenção", explica o professor Glauber Gonçalves, do Centro de Ciências Computacionais (C3).

Ele lembra de uma campanha realizada em 2016 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), alusiva ao Dia Mundial da Higiene das Mãos, que à época levantou uma leve reflexão sobre o tema. Agora, em caráter emergencial provocado pela crise mundial do coronavírus, as pias portáteis foram idealizadas, desenhadas e colocadas em protótipo pela equipe do C3. "Não costumamos ter locais públicos disponíveis exclusivamente para lavar as mãos, existe uma lacuna nessa questão. Então o principal efeito da pia é educativo, fora o aspecto sanitário e os cuidados preventivos", afirma o professor Gonçalves. Para os próximos meses, a intenção é ampliar a distribuição das pias para a zona urbana rio-grandina, próximo a locais de maior aglomeração, como paradas de ônibus. "Nossa pretensão é que o comércio aproveite a onda e conscientize o pessoal de que lavar as mãos é uma tarefa importante", destaca o professor.

Também participam do projeto o professor Vitor Gervini e o técnico Cedenir Costa. O Tecon Rio Grande e a Refinaria de Petróleo Riograndense realizaram a doação de materiais.

O que é o iTecCorona
Em parceria com outras instituições, a FURG organizou essa frente tecnológica para combate e prevenção do coronavírus. O grupo do iTecCorona reúne integrantes do Centro de Ciências Computacionais (C3), Escola de Engenharia (EE), Instituto de Matemática, Estatística e Física (Imef), Parque Tecnológico – Oceantec, Incubadora de Empresas de Base Tecnológica - Inovattio, e os institutos federais de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) e Sul-rio-grandense (IFSul).

A equipe do iTecCorona foi dividida em frentes de trabalho, onde cada uma atua de forma autônoma e auto-organizada. As frentes foram definidas de acordo com os tipos de desafios e demandas, observando o perfil dos voluntários. São elas: desenvolvimento de equipamentos, software, analytics, ecommerce e comunicação, além de um grupo específico responsável pela interação com a comunidade.

Fonte: FURG




Veja também



Você sabe porquê comemoramos o Dia Mundial do Meio Ambiente?
Impactos ambientais concentram preocupações de longo prazo para a economia global
WINELEATHER: Marca italiana utiliza bagaço de uva para criar uma alternativa ao couro
Países dão exemplo no combate ao aquecimento global